24 de julho de 2012

Eros e Narciso: A ebulição das forças anímicas



<><><><><><><><>

v. 30 n. 69 Abr./Jun. 2012


DOI: 10.7213/psicol.argum.5968
Eros e Narciso: A ebulição das forças anímicas Eros and Narciso: Ebulition of the animic forces
Fernanda Menin 1
Lilian Loureiro 2
Milena Neri Guarnieri 3
Noely Montes Moraes 4
Resumo

Do ponto de vista psicodinâmico, o narcisismo expressa uma inflação egoica – situação que impede a consciência de reconhecer a alteridade. Algumas relações e situações sociais espelham essa condição, constituindo-se de projeções mútuas em que a preservação da imagem(persona) exige a exclusão de aspectos incompatíveis, depositando-os no Outro.Esta dinâmica impede a aproximação de Eros, pois não há o reconhecimento do Outro, a não ser como espelho. Não há quem discorde que nossa época apresenta alterações profundas no modo de se vivenciar as experiências humanas fundamentais. Valores, costumes, relacionamentos,tudo que vivemos parece irreconhecível para alguém do começo do século XX. Neste trabalho, pretendemos apontar a função da dinâmica narcísica como etapa necessária ao processo de individuação, pois tem por finalidade permitir o reconhecimento e posterior integração de aspectos negligenciados pela persona. Utilizando o mito de Narciso, a partir da amplificação simbólica, refletimos a respeito das possibilidades criativas trazidas pelo sacrifício/transformação/morte de Narciso: o abandono do contato superficial com a imagem refletida conduz à vivência da identidade profunda representada pelo enraizamento no Self (a transformaçãoem flor), abrindo espaço para a aproximação de Eros. Buscamos traçar paralelos desse caminho transformador/criativo com a condição contemporânea, arriscando vislumbrar saídas para o indivíduo e para o coletivo.

Palavras-chave : Narcisismo. Individuação. Contemporaneidade. Alteridade. Relação amorosa.
Abstract

From the psychodynamic perspective, narcissism expresses an egoic inflation – a situation thatprevents conscience to recognize the otherness. Some relationships and social situations reflectthis condition, consisting of mutual projections where the preservation of the image (persona)requires the exclusion of incompatible features, depositing them in the Other. This dynamicsprevents the approach of Eros, because there is no recognition of the Other, unless as a mirror.There’s no one who disagrees that our time has shown profound changes in the way of livingthe fundamental human experiences. Values, ways of doing, relationships, everything that welive now is hard to be recognized by anyone from the early twentieth century. In this work, weintend to show the role of narcissistic dynamics as a necessary step in the individuation process, as it is intended to enable the recognition and further integration of neglected aspects by one’spersona. Using the myth of Narcissus, from a symbolic amplification, we reflected on the creativepossibilities brought by the sacrifice/transformation/death of Narcissus: the abandonment of superficialcontact with the mirror image leads to the experience of profound identity representedby the deepening of roots in the Self (the transformation into a flower), making room for Eros’approach. We seek to draw parallels between this transformer/creative process with the contemporarycondition, trying to find a scape way for the individual and for the collective.

Keywords : Narcissism. Individuation. Contemporary. Otherness. Love relationship

1 Psicóloga clínica, psicoterapeuta e pesquisadora do grupo SEJA,São Paulo, SP- Brasil,e-mail: femenin@ig.com.b
2 Mestre em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo(PUC-SP),psicoterapeuta, pesquisadora do grupo SEJA, São Paulo, SP- Brasil, e-mail: lilianloureiro@uol.com.br
3 Psicóloga clínica, pós-graduanda pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo(COGEAE/PUC-SP), pesquisadora do grupo SEJA, São Paulo, SP- Brasil, e-mail: milguarnieri@hotmail.com
4 Professora titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo(PUC-SP),vice-diretora da Clínica Psicológica Anna Maria Poppovi,psicoterapeuta e coordenadora do grupo SEJA, São Paulo, SP- Brasil, e-mail:noelymontes@yahoo.com.br

Recebido em 06/10/2009; Aceito em 10/06/2009.
Received in ; Accepted in .
[pdf]
OAI-ID: oai:pa.pucpr.br:article/5968
link: http://www2.pucpr.br/reol/index.php/PA?dd1=5968&dd99=view